SIC deteve chineses acusados de falsificação de medicamentos

Novo JornalPublicado 17/05/2017 14:41:00

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) de Luanda apresentou hoje um grupo de 29 alegados criminosos, suspeitos de terem praticado crimes diversos, onde estão incluídos dois cidadãos de nacionalidade chinesa acusados de comercialização de medicamentos com etiquetas e prazos de validades adulterados.

Em declarações a imprensa, o chefe do Departamento de Imprensa do SIC, Joaquim Mongongo explicou que a maior parte dos supostos criminosos estão acusados de crimes graves, com realce para três crimes de homicídio voluntario ocorrido no passado dia 12 do corrente mês no bairro Rasta, município do Kilamba Kiaxi, ainda o roubo qualificado de 1, 6 milhões de Kwanzas, na dependência do banco BIC na Vila do Gamek, distrito urbano da Maianga e diversos casos de burla.

Do gangue de sete elementos que no passado dia 03 deste mês assaltaram a dependência do BIC, no Gamek, três estão detidos e quatro ainda se encontram foragidos. Os detidos tinham na sua posse de armas de fogo ilegais, sendo que um deles era funcionário do banco, com o cargo de tesoureiro.

Sobre os cidadãos chineses, Joaquim Mongongo disse que os medicamentos com prazos de validade e etiquetes adulteradas foram apreendidos junto hospital Geral de Luanda, no momento em que os detidos procediam à sua venda.

"Os medicamentos que foram apreendidos próximo do hospital Geral de Luanda tinham os prazos expirados desde 2013", adiantou.

Durante o acto de apresentação que decorreu no pátio do Comando Provincial de Luanda, foram mostrados diversos bens recuperados que haviam sido furtados ou roubados.

Dos objectos recuperados constam, entre outros, 16 armas de fogo de diversas marcas e calibres, 14 viaturas de diversas marcas e modelos, quatro motorizadas, seis televisores plasma, três catanas, três facas e dois computadores.

Primeira Página