A par das questões militares, nomeadamente a presença dos Estados Unidos da América no continente africano, Mike Pompeo, neste tour que, depois de Angola, o levará ainda à Etiópia, seguindo para Omã e à Arábia Saudita, no Médio Oriente, debruça-se sobre as trocas comerciais entre os países africanos e os Estados Unidos, a boa governação e a democracia, entre outros temas em destaque para este périplo africano de Mike Pompeo, o primeiro que faz em África.

Em declarações aos jornalistas que com ele viajam, Pompeo disse, na quinta-feira, quando esteve em Berlim, Alemanha, que pretende falar com os lideres dos três países africanos neste seu "mapa" de acção sobre a importância das reformas económicas, o combate à corrupção, criação de melhores ambientes de negócio e a promoção do Estado de Direito, o que sublinha como fundamental para atrair investimento norte-americano.

Esta é a primeira visita de Mike Pompeo a África e gerou, por isso, fortes expectativas porquanto contraria a ideia de que a Administração Trump havia decidido não atribuir especial importância às suas relações com o continente.

Recorde-se os EUA estão a analisar uma eventual retirada das suas forças militares da região do Sahel, onde proliferam múltiplos grupos jihadistas, e onde estão a apoiar alguns países europeus no combate a estas organizações ligadas à al-qaeda e ao estado islâmico.

Esta possibilidade já foi duramente critica pelo Presidente da França, Emmanuel Macron, que tem o maior contingente militar naquela região de África. Eo Senegal, que faz parte daquela geografia, será o palco para essa discussão, sendo que é ali que vai analisar também a preparação de um exercício militar que abrange ainda a vizinha Mauritânia.

Pompeo vai estar no país cerca de 24 horas com a chegada prevista para cerca das 23:00 de hoje, Domingo.

As reformas em curso conduzidas pelo Presidente João Lourenço, nomeadamente as ligadas ao combate à corrupção, vão estar no topo da lista da conversa que ambos vão manter na Cidade Alta, por volta daa 10:00 de segunda-feira.

Uma hora depois, Pompeo tem encontro marcado com o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, no Mirex, ao qual se segue, segundo o programa oficial, uma conferência de imprensa.

Está ainda agendada uma mesa redonda com empresários angolanos no Museu da Moeda, um encontro com o corpo diplomático da embaixada no país.

Cerca das 16:00, Mike Pompeo deixa Luanda.

O MIREX. na agenda divulgada à imprensa, diz que existe a possibilidade de um encontro com mulheres empreendedoras mas que este está por confirmar, bem como a hora e o local.